Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/09/21 às 13h18 - Atualizado em 28/09/21 às 13h18

Parceria entre GDF e Sebrae alavanca pequenos negócios

COMPARTILHAR

Programa vai levar serviços de consultoria e palestras a cinco regiões administrativas. Brazlândia será a próxima parada

 

 

ALLINE MARTINS, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: ROSUALDO RODRIGUES

 

Já pensou em ter consultoria gratuita para alavancar o seu negócio? Pois é justamente essa a proposta do projeto Brasília Empreendedora, que tem como objetivo acelerar negócios de microempreendedores individuais na base da pirâmide social, capacitando-os e desenvolvendo suas habilidades de gestão para viabilizar a geração de renda e ascensão socioeconômica.

 

O projeto-piloto foi realizado em Ceilândia, por meio de uma parceria entre o Conselho Permanente de Políticas Públicas do GDF, o Sebrae e Frei Rogério Soares, com apoio das administrações regionais. Agora, a proposta será replicada em outras cinco regiões: Brazlândia, Estrutural, Guará, Riacho Fundo e Recanto das Emas.

 

Brazlândia será a próxima a receber o projeto. Serão selecionados 30 microempreendedores. Eles vão ser acompanhados durante oito semanas, a partir de outubro, com encontros realizados semanalmente, mais a consultoria individualizada.

 

“O projeto é voltado especificamente aos MEIs que possuam, pelo menos, seis meses de atividade. Os interessados poderão enviar um e-mail para a Gerência de Desenvolvimento Econômico da Administração Regional de Brazlândia (gedec@brazlandia.df.gov.br) até 30 de setembro e solicitar a ficha de inscrição”, adianta o gerente de Desenvolvimento Econômico da região, Elvis Roberto da Silva.

 

O gerente destaca que o projeto será muito importante para a região. “O crescimento dos pequenos negócios ensejará geração de empregos e renda para a cidade, aquecendo a economia local”, observa.

 

Ele destaca ainda que, devido à pandemia, muitas pessoas acabaram abrindo pequenos negócios, sem a orientação adequada. “Com a operação em curso, há momentos críticos que também demandam orientação. Nesse sentido, o projeto oferecerá consultorias específicas voltadas aos mais variados tipos de negócios, a fim de solidificá-los dentro do cenário local, trazendo o conhecimento necessário para que o empreendedor utilize as ferramentas e indicadores corretos para conquistar seus objetivos”, diz Elvis.

 

A Administração Regional de Brazlândia, em parceria com o Sebrae, disponibilizará toda a estrutura física e material como espaço para realização dos encontros, além de todo o suporte necessário aos consultores e MEIs.

 

Projeto-piloto

 

A primeira edição do projeto foi realizada entre os dias 6 de maio e 25 de junho, em Ceilândia. Participaram 21 microempreendedores individuais (MEIs), durante sete semanas com encontros virtuais.

 

A microempreendedora Rosilda Vieira de Carvalho foi uma das participantes. Na época, ela tinha um restaurante, mas não conseguiu manter as portas abertas em razão do tempo em que precisou fechar por causa da pandemia. Depois de fazer os encontros com as palestras e consultoria do projeto, estuda novas possibilidades.

 

“O programa contribui muito para o meu aprendizado. Tinha coisas que eu nunca tinha ouvido falar, como fundo de caixa e estratégias para enfrentar as dificuldades financeiras. Depois de participar, vi outras possibilidades e que posso fazer marmitas e sobremesas em casa mesmo”, conta ela, que já tem até nome para o novo negócio: Delícias da Rosy.

 

Para Wellington Lisboa Leite Júnior, que vende açaí, participar do projeto ajudou a “abrir a mente”, como ele mesmo diz. “Também me abriu um leque de outros cursos no Sebrae. Estou fazendo algumas consultorias de cardápio, gestão, financeiro e tem me ajudado bastante”, conta.

 

Durante os encontros foram oferecidas palestras com temas como diagnóstico inicial do empreendimento, fluxo de caixa, a empresa nas redes sociais, controles financeiros e inovação para melhorar as vendas. “O projeto foi de suma importância para a região, pois temos ciência da relevância e impacto dos pequenos negócios para o desenvolvimento e fortalecimento da economia”, comemora a diretora de Desenvolvimento e Ordenamento Território da Administração Regional de Ceilândia, Sônia Maria Rodrigues.

 

“Sabemos dos desafios enfrentados para empreender e essa parceria da administração regional com o Sebrae tornou possível oportunizar a esses empreendedores um ambiente propício para alavancar o crescimento dos seus negócios”, complementa a diretora.

 

Inclusão produtiva

 

A proposta do projeto Brasília Empreendedora é criar e implantar inclusão produtiva em regiões de baixa renda do DF. Conforme explica a secretária executiva do conselho permanente e diretora técnica do Sebrae/DF, Rose Rainha, o programa foi estruturado em oito encontros de duas horas.

 

“Cada turma pode dispor de até 30 pessoas beneficiadas. Com as cinco regiões administrativas previstas, mais 150 empreendedores de baixa renda serão apoiados”, adianta.

 

Fonte: Agência Brasilia